Página pessoal - João Ca​rlos Chavatte

Pacientes Desinformados


Experiências de pacientes com câncer com cuidados médicos relacionados à cannabis



Antecedentes: Pouco se sabe sobre os cuidados médicos relacionados à cannabis (MC) para pacientes com câncer usando MC.

Métodos: Entrevistas telefônicas semiestruturadas foram realizadas em uma amostra de conveniência de indivíduos (n = 24) com diagnósticos oncológicos confirmados por médicos e autorização do estado/distrito para usar MC (Arizona, Califórnia, Flórida, Illinois, Massachusetts, Oregon, Nova Iorque e Washington, DC) de abril de 2017 a março de 2019. Técnicas qualitativas padrão foram usadas para avaliar o grau de supervisão dos cuidados de saúde relacionados à MC, as práticas da MC e as principais fontes de informação.

Resultados: Entre 24 participantes (idade média, 57 anos; faixa etária, 30-71 anos; 16 mulheres [67%]), as certificações MC eram normalmente emitidas por um novo profissional ao atendimento de um paciente após uma breve e perfunctória consulta. Os pacientes revelaram o uso de MC a suas equipes médicas estabelecidas, mas receberam poucos conselhos médicos sobre como usar a MC. Os pacientes com câncer usavam os produtos derivados de MC como tratamento multiuso de sintomas e como uma terapia dirigida ao câncer, em algumas ocasiões utilizavam como tratamento padrão ao invés do tratamento em si. A experimentação pessoal, incluindo o automonitoramento metódico, foi uma fonte importante do know-how da MC. Na ausência de conselhos formais de profissionais médicos, os pacientes dependiam de fontes não médicas para obter informações sobre a MC.

Conclusões: Pacientes com câncer usavam MC com o mínimo de supervisão médica. A maioria recebeu as certificações da MC através de breves reuniões com profissionais não familiarizados. Os participantes desejavam, mas muitas vezes não conseguiam acessar informações clínicas de alta qualidade sobre a MC a partir de suas equipes médicas estabelecidas. Como muitos pacientes estão comprometidos com o uso da MC, um produto sustentado por uma indústria em crescimento, os provedores médicos devem se familiarizar com os dados existentes para a MM e suas limitações para atender a uma necessidade clínica mal atendida.



Artigo disponível em: ACS JOURNALS (01/2021 – pag 67-73)

voltar