Página pessoal - João Ca​rlos Chavatte

CBD e a Síndrome de Burmout


"Os profissionais de saúde que atuam na linha de frente com os pacientes infectados COVID-19 têm uma maior incidência de sintomas de burnout. O canabidiol (CBD) tem propriedades ansiolíticas e antidepressivas, podendo de reduzir a exaustão emocional e os sintomas de burnout."


Ensaio Clínico Randomizado: A Eficácia e Segurança do Cannabidiol Associados aos Cuidados Padrão vs Somente os Cuidados Padrão para o Tratamento da Exaustão Emocional e os Sintomas de Burnout entre os Trabalhadores da Saúde da Linha de Frente Durante a Pandemia da COVID-19



Objetivo: Investigar a segurança e a eficácia da terapia de CBD para a redução da exaustão emocional e sintomas de burnout entre os profissionais de saúde que atuam na linha de frente com pacientes com COVID-19.

Modelo, Cenário e Participantes: Este ensaio clínico prospectivo com rótulo aberto e randomizado em um único local utilizou um desenho randomizado de bloco 1:1 para examinar os sintomas de exaustão emocional e burnout entre os profissionais de saúde da linha de frente (médicos, enfermeiros e fisioterapeutas) que trabalham com pacientes com COVID-19 no Hospital Universitário da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto em São Paulo, Brasil. Os participantes foram matriculados entre 12 de junho e 12 de novembro de 2020. Um total de 214 profissionais de saúde foram recrutados e avaliados para elegibilidade, e 120 participantes foram aleatorizados numa proporção de 1:1 por um pesquisador que não estava diretamente envolvido com a coleta de dados.

Intervenções: Cannabidiol, 300 mg (150 mg duas vezes por dia), mais os cuidados padrão ou apenas cuidados padrão durante 28 dias.

Principais Resultados e Medidas: O principal resultado foi a exaustão emocional e os sintomas de burnout, que foram avaliados durante 28 dias utilizando a subescala de exaustão emocional da versão brasileira do Maslach Burnout Inventory-Human Services Survey for Medical Personnel.

Resultados: Um total de 120 participantes foram aleatorizados para receber ou CBD, 300 mg, mais os cuidados padrão (tratamento; n = 61) ou apenas os cuidados padrão (controle; n = 59) por 28 dias. Destes, 118 participantes (59 participantes em cada segmento; 79 mulheres [66,9%]; idade média, 33,6 anos [95% CI, 32,3-34,9 anos]) receberam a intervenção e foram incluídos na análise de eficácia. No segmento de tratamento, as pontuações na subscrição de exaustão emocional do Maslach Burnout Inventory diminuíram significativamente no decimo quarto dia (diferença média, 4,14 pontos; 95% CI, 1,47-6,80 pontos; eta parcial ao quadrado [ηp2] = 0,08), vigésimo primeiro dia (diferença média, 4,34 pontos; 95% CI, 0,94-7,73 pontos; ηp2 = 0,05), e no vigésimo oitavo dia (diferença média, 4,01 pontos; 95% CI, 0,43-7,59 pontos; ηp2 = 0,04). No entanto, 5 participantes, todos eles pertencentes ao grupo de tratamento, sofreram sérios eventos adversos: 4 casos de enzimas hepáticas elevadas (1 crítico e 3 leves, com as elevações leves relatadas na avaliação final de 28 dias) e 1 caso de farmacodermia severa. Em 2 desses casos (1 com elevação crítica das enzimas hepáticas e 1 com farmacodermia severa), a terapia CBD foi interrompida, e os participantes tiveram uma recuperação completa.

Conclusões e Relevância: Neste estudo, a terapia de CBD reduziu os sintomas de esgotamento e exaustão emocional entre os profissionais de saúde que trabalham com pacientes durante a pandemia de COVID-19. Entretanto, é necessário equilibrar os benefícios da terapia de CDB com potenciais efeitos indesejáveis ou adversos. Futuros ensaios clínicos controlados por placebo duplo-cego são necessários para confirmar os resultados atuais.

Registro do Ensaio: Registrado na ClínicosTrials.gov Id: NCT04504877



O estudo completo está disponível em: JAMA Network

voltar